O modelo de negócio do Airbnb tem inspirado muitas ideias interessantes relacionadas a economia colaborativa. Uma delas surgiu recentemente e é da jornalista americana Sharona Coutts, que trabalha como freelancer. Quem trampa em casa sabe que uma das desvantagens do home office é a falta do burburinho e de ter alguém da sua área pertinho para trocar ideias.

É claro que tem muito coworking descolado por aí, mas na prática é meio caro pra quem está começando. Gastar entre 15 e 40 pilas todo dia não é pra todos os bolsos (ainda mais pra jornalistas) e os cafés, bem… A ideia é super bonita nos comerciais do Starbucks, você se sente rodeado de pessoas, mas definitivamente não é a melhor solução de networking.

Pois bem, no Spare Chair, você aluga uma cadeira, uma poltrona, uma mesa na casa de outra pessoa. Você também pode receber alguém pra compartilhar seu escritório e, além de trocar ideias, pode economizar custos de internet e energia. “Ficamos mais produtivos quando trabalhamos em dois ou três. É muito bom ter uma mudança de cenário às vezes”, explicou Sharona ao Contently (se você trabalha com conteúdo e não conhece, deve clicar).

O serviço está em beta, mas já reuniu mais 400 freelancers e 65 anfitriões pelos Estados Unidos. “O Spare Chair permite que freelas trabalhem com profissionais de áreas que estejam interessados. A ideia é ter algum trabalho finalizado durante uma sessão de coworking”, comenta. Uma das vantagens do serviço é que você pode procurar membros por área de atuação ou profissão em escritórios a partir de cinco doletas. O cantinho aí em cima é da designer e ilustradora Shyama Golden. Inspirador, não?

Se você está interessado em mais informações e dicas sobre trabalho autônomo, segue nossa tag #vidadefreela. Ela está no começo, mas tem muita coisa vindo por aí. ;)