Em um desses sábados chuvosos, deixo o edredom de lado e saio rumo ao Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo. No ano em que completo uma década escrevendo sobre a cena independente, ainda me surpreendo com as possibilidades que as noites paulistanas reservam. No prédio antigo com uma vista única da cidade, um segurança amigável me conduz até o elevador capenga. Na saída dele, sigo o caminho da luz vermelha que a esta altura me parece acolhedora. Leia mais