malaguetas
O Malaguetas é feito pela Talaguim.

/ tag / online

em 6.Abril.2011 por

“You Are Listening To…” transforma sons urbanos em música

Sabe quando você acorda 8h horas da manhã, irritado com aquela britadeira martelando, carros, gritos e bagunça na rua? Pois tem quem acha que isso é música para os ouvidos.

Eric Eberhardt é um gerente de projetos digitais de São Francisco que ouve música em tudo, até na central de polícia das cidades. Por isso criou o projeto “You Are Listening To…” onde reproduz sons urbanos remixados com músicas ambientes. No começo a experiência é meio confusa, mas se você fica algum tempo ouvindo é curioso tentar imaginar o que está acontecendo nessas cidades e as peculiaridades de cada uma. Por mais que um som urbano, com buzinas, pássaros e carros freando não seja tão prazeroso quanto ouvir as ondas do mar, o resultado dos sons do projeto é bem harmônico.

O “You Are Listening To…” começou com a cidade de Los Angeles e hoje já tem páginas para Nova York, Chicago, São Francisco e Montreal. Eric usa streamings de outras rádios para fazer a sincronia, junto com a uma frequência “roubada”, do 911. Se a polícia se incomoda? “O seu trabalho aqui é uma obra-prima, obrigado”, diz um ex-policial nos comentários da página de LA.

em 5.Novembro.2009 por

Bandas velhas X novas mídias

Quando estou sem pauta e não tenho paciência para replicar informação que já está na home de qualquer portal de notícias, fico dando voltas nos sites de bandas que ou ando ouvindo muito ou sentindo falta. E foi assim que fui parar na página do Black Crowes. Os caras lançaram um álbum faz pouco tempo ["Warpaint"] em 2008 e no mês que vem vão lançar um DVD com uma apresentação da banda e eu não tinha visto essa notícia em nenhum lugar. Se você viu, por favor, me diga. Mas não vai ser nada suficiente para estragar minha surpresa [de gente perdida] de ouvir como as músicas continuam a mesma mistura de blues, rock e boas doses de embriaguez de sempre, talvez um pouco mais hippie.

Na verdade verdadeeeira, eles nunca pararam de tocar, né?! Sempre faziam um trabalhinho aqui ou ali e umas sessions entre si. E em 2005, o Chris Robinson chegou no pico do seu intimismo e mesmo sendo uma banda que já vendeu 15 milhões de álbuns começou a fazer shows sob o codinome de Mr. Crowe’s Garden, nome inicial deles. Com pouca divulgação em um bar chamado Staircase na Pensilvânia fizeram a alegria de fãs que esgotaram os ingressos. Sem holofotes, sem glamour, sem atualização no Twitter.

Fiquei empolgada com a ideia de como essas bandas mais antigas estão entrando (ou não) no mundo digital. Levando em consideração que o AC/DC só começou a mexer no seu material online há dois anos depois de descobrir que o domínio estava com um site pornô, fui caçar algumas raridades descobrindo como andam suas páginas na web.


Gente, o sobrinho nerd dos caras deve ter feito por livre e espontânea pressão, a maioria das áreas não são clicáveis e ele é feito em um HMTLzinho bem sem vergonha. Ainda bem que a banda compensa.


É claro que os caras pagaram uma agência para fazer. E devem ter passado o briefing: pensa num visual meio cowboy e dá um jeito de colocar nosso maior sucesso sempre como notícia principal.

Neil’s Garage

Alguém ensina pro Neil o que é uma foto em alta? E tem coisa pior, essa imagem é um gifzinho que fica indo pra frente e pra trás com ele segurando uma bolinha vermelha. Tá duvidando? Clique com seu próprio mouse.


E o do Doors? Que além de só abrir em uma página /mobile é tipo um banco de dados com notícias e um fórum que não dá para entender muito bem. E nem vem dizer que não é deles porque tem notícia atualizada de agosto desse ano.



Além de ser um caos visual de informação, dá bem uma olhada na área vermelha que tem um texto atropelando outra categoria do site, capricho zero.

É claro que nem toda banda é obrigada a ser uma mídia social igual a Fresno, mas a comunicação visual do site desses caras com certeza diz muita coisa. O site do Poison vendendo esmaltes personalizados verdes com uma imagem do Bret Michaels cheio de botox mais ainda, haha. Mas as opções também não são muitas, ou eles ficam no seu cantinho, esperando o boca-a-boca render alguma exclusividade ou colocam o pé nessa água fria que nem sempre é fácil de administrar.