Sábado, saio no comecinho da tarde com uma programação pré-definida. Abro as velhas e ranhetas portas de madeira da Lübecker Straße e sou surpreendida pelo tapete nevado que se estende até o parque na esquina, onde uma delicada camada branca cobre o horizonte arborizado. Um convite para fotografar. Berlim já teve invernos a -30°C, mas neste ano não passou dos -8°C (a conta do aquecimento global chega pra todos). Os dedos adormecem e o ar gelado enche os sentidos e desce arranhando a garganta. Um raio de sol escapa do céu. Vou em busca de cor no dia cinza.  Leia mais