Sexta-feira à noite, solstício de inverno. Ela está encostada na parede olhando para as chaves, suas mãos pareciam inquietas. Parecia ter receio de entrar, respirou fundo e desencostou-se da parede, o seu semblante caído mudou quando encarou aquela velha porta sorrindo. Destrancou-a e a empurrou, ficou imóvel por um instante olhando para aquela escuridão, sem hesitar deu o primeiro passo e entrou. Leia mais