Experiência inevitável de uma viagem à Alemanha é esbarrar, uma hora ou outra, em um pelado de boa no parque, uma festa ou manifestação. A minha primeira experiência foi em um lago, o Plotzensee. Fiquei ali sentada, observando o horizonte e a liberdade que eles têm com o próprio corpo. Entre o lago e uma praia artificial, um deck de madeira era o ponto preferido de uma dezena de naturistas com a pele reluzindo ao sol. Vez ou outra, pulavam na água e voltavam para acalentar os pêlos arrepiados em cima das toalhas de praia coloridas. Leia mais