Estava pensando em como começar este texto sem ser longo ou exagerado demais com uma pergunta feita pelos seguranças e pela tiazinha super simpática que me ajudou quando fiquei presa no banheiro antes que eu entrasse em pânico na hora que o trinco da porta travou. “Quem vai tocar hoje?”, perguntavam. “Azealia Banks!”, eu respondia. E eles, “Quem é Azealia Banks?”. As expressões eram de extrema interrogação. Me identifiquei. Essa foi uma pergunta que havia me feito quando ouvi o nome dela pela primeira vez em 2013.  Leia mais