Recebemos pedidos de dicas de Berlim no verão e adoramos mostrar coisas legais da cidade. Alguns pontos são escondidinhos e passam despercebidos principalmente se a viagem for curta. Nós já listamos neste post alguns dos nossos rolês favoritos (com dicas para casais e solteiros) e hoje trazemos um roteiro inusitado para quem curte cultura urbana. Chega mais! 

A Haus Schwarzenberg é um beco ao lado do Starbucks do Hackesher Market, no bairro do Mitte, a região central da capital alemã. Apesar da proximidade, o espaço não tem nada a ver com a franquia de cafés americana. A Haus abriga coletivos de contracultura desde 95, quando squatters passaram a ocupar o local. É um dos poucos sobreviventes da gentrificação no centro, junto com a Schokoladen, que vai virar um post mais pra frente.

O nome do lugar faz menção ao condado de Schwarzenberg em Erzgebirge, entre a Alemanha e a República Tcheca. Durante as ocupações no pós-guerra, as Forças Aliadas não chegaram aos limites da cidade. Até ser ocupada pelas tropas soviéticas, foi apelidada de “República Livre de Schwarzenberg” (não confunda com Schwarzenegger).

República Livre é a ideia principal do espaço, que hoje sofre com a especulação imobiliária e tenta provar sua importância na cidade antes que vire mais uma Forever 21 ou um condomínio super caro. Entrevistei uma das artistas que fazem parte do coletivo, a Danielle De Piccioto (uma das fundadoras do Tresor e da Love Parade) não faz muito tempo, e ela fala mais sobre isso.

haus-art-mitte

O mais legal é se perder no beco. Mas deixo aqui algumas dicas rápidas do que é imperdível.

Monster Kabinett 
Está vendo esse monstrengo de lata aí em cima? O nome dele é Bloch e ele faz parte do acervo do museu de animatronics com duas décadas de existência no porão de uma das salas da Haus. Para quem não lembra, animatronic é uma técnica mecânica de animar personagens, foi muito usada no cinema da década de 80 como recurso de efeitos especiais (O ET do Spielberg é o mais famoso deles). No Monster, eles foram criados para espetáculos do Dead Chickens, a companhia de teatro mais maluca de Berlim. Uma atriz alemã te conduz pelo pequeno museu, que é alto, freak e regado a techno criado pelos personagens. Há quem diga que não vale os 8 euros, mas pensando em todo o entorno e nos altos alugueis do centro, é um apoio para a cultura local.

Museu da Anne Frank
Uma versão menor, mas não menos completa da versão holandesa é um dos primeiros prédios que você vê ao entrar no beco. Tem um graffiti grande com o rosto dela na porta. É interativo e tem bastante  informação sobre a vida da jovem vítima do nazismo. Próximo dali também tem mais história com o Museu Blindenwerkstatt, que era na verdade uma pequena fábrica para surdos e mudos que produziam vassouras antes da Segunda Guerra. O dono, Otto Weidt, ficou famoso por tentar proteger seus funcionários judeus da perseguição e a luta pela comunidade e pela igualdade é o que permeia o espaço.

Neurotitan
Galeria que já recebeu artistas brasileiros como o Paulo Ito, a Neurotitan reúne a nata da ilustração e artes gráficas da cidade. Eles têm um salão que sempre exibe coisas interessantes, e estão com os estúdios dos artistas que formam o coletivo aberto até 30 de maio. Para quem curte comprar livros, zines, discos e quadrinhos, é um dos melhores lugares do centro. <3

neurotitan-mitte

Kino Central
Com filmes em inglês e alemão, o Kino Central é bom de acervo Lado B e acompanha alguns lançamentos. Como aqui ainda rola toda a treta de não poder baixar filmes, ele funciona como locadora e cinema ao mesmo tempo. Durante o verão, eles organizam várias sessões de filmes e cerveja open-air. Vale a pena clicar no site para ver a programação.

Eschschloraque Rümschrümp 
Um bar / café onde todo mundo que trabalhar e vive o dia a dia desse lugar se encontra. Não é dos mais especiais para turistas, mas se você estiver por ali e bater aquela sede enlouquecedora vale a pena a parada. Do contrário, explore cervejas que você compra nos Spätkaufs pelo caminho. Ah, também tem uma loja de roupas de designers locais, a Jack Mode, pra quem é das modas.

blondie-streetart

Se gostou da ideia e quer apoiar o espaço mesmo de longe, o link do crowdfunding é esse. Mas o melhor jeito, sem dúvida, é se embrenhar nos becos e descobrir por si só.

Haus Schwarzenberg
Rosenthaler Straße 39
10178 Berlin
T: 030 30 87 25 73