Descabelar o palhaço, bater uma siririca, afogar o ganso, socar uma bronha, descascar a mandioca, fazer uma homenagem, tocar uma gloriosa. Das heroínas eróticas de Milo Manara e Guido Crepax à Garota Siririca, nessa compilação do Malaguetas, você encontra uma série de quadrinhos e ilustras sobre uma das mais antigas artes do prazer humano. 

Escrever esse post me fez lembrar que uma das primeiras surpresas eróticas da minha pré-adolescência foi por acidente. Enquanto ainda aprendia a ler quadrinhos com as páginas coloridas e animadas da Mônica, estava voltando da escola e percebi algumas páginas rasgadas pela rua. Pedaços de um quadrinho em preto e branco, quase bege de tão velho.

Sai juntando os recortes, picote por picote, até que se formou uma página em que uma mão misteriosa (uma mão sem homem, sem braço, só a mão solta) masturbava uma mulher enquanto ela dirigia na estrada. Nunca tinha visto nada parecido, nunca descobri de quem era essa história, mas foi minha primeira revelação erótica da vida, e era nas HQs. Em homenagem a esse momento de descoberta, sugerimos aqui algumas leituras sobre o tema para esquentar o seu inverno.

“O erotismo é realmente a nossa chave para a eternidade. Para mim, é uma religião. O erotismo é como o sagrado, algo maior do que nós mesmos”, Milo Manara em entrevista à “Slate” de julho. Está rolando uma exposição retrospectiva do artista italiano em Paris.

milo

Milo falou e é por isso que começamos com ele, esse que junto com Guido Crepax e Jean-Claude Forest são considerados os maiores entusiastas do erotismo nas HQs. Suas heroínas são errantes, humanas, livres de culpa e ao mesmo tempo poderosas em sua segurança sexual. Valentina e a Barbarella, donas de séries homônimas e a insaciável senhorita Claudia Cristiani, de “Click” são algumas das nossas personagens favoritas.

valentina-guido-crepax-1800x1391

Untitled-1

“Lost Girls” foi escrita por Alan Moore, ilustrada por Melinda Gebbie e reúne personagens dos contos fantásticos Alice no País das Maravilhas, Peter Pan e o Mágico de Oz em seus momentos de descoberta. Dorothy tem seu primeiro orgasmo durante a passagem do tufão pelo Kansas, Wendy faz um bacanal de verão com o Peter Pan e os meninos perdidos e Alice tem relações bissexuais na escola de freira em que estudava.

lost-girls-art-melinda-gebbie

Bom, quem conhece os trabalhos de Crumb sabe que ele é um punheteiro de mão cheia. E em “Sex Obssesions”, ele transforma suas fantasias mais estranhas em um livro aberto. Seus primeiros desenhos eróticos surgiram na adolescência, quando ele usava as ilustrações para colocar no papel as fantasias eróticas que imaginava. No começo, assim como esse quadrinho abaixo, ele ficava mais preocupado. Hoje boa parte do seu trabalho foi inspirado por esses momentos mágicos da juventude e sua relação com as mulheres, a música e o LSD.

crumbyoung

Uma leitura mais recente vem dos roteiristas de “Sex Criminals”, resenhamos ela aqui faz pouco tempo. Nela, Matt Fraction, o cara por trás de “Hawkeye”, HQ premiada da DC Comics, retrata cenas de masturbação feminina livre dos clichês. Os textos todos são bem humorados e tratam o orgasmo feminino com naturalidade.

sexcriminals1-08 copy

Pensando em quadrinhos, ainda daria para fazer uma lista gigantesca de artistas que ilustraram cenas eróticas: Moebius, os irmãos Hernandes, Olivia De Berardinis. Mas nossa lista termina com a sugestão de leitura da própria, a única, Garota Siririca, da Sirlanney, publicada pela editora Samba. Ela é o máximo, bem-humorada, conversa com as leitoras, dá dicas, é um serviço de utilidade púbica para as meninas iniciantes.

GS52-w