A verdade verdadeira é que a banda deve ter passado bem longe da lama, mas a chuva que durou a noite inteira na Chácara do Jockey fez as 12 mil pessoas que passaram pelo show sentir os dois pés (literalmente) em Glastonbury. E como já diz o ditado “saiu na chuva é pra se molhar”, por isso desencanei de me preocupar com o aguaceiro e achei o show muito bom mesmo com os 5kgs de barro que trouxe de brinde para casa. Quem não queria enfrentar o temporal que não arriscasse passar por lá.

Como qualquer garoinha em São Paulo para o trânsito, chegar até a Chácara do Jockey se tornou uma tarefa inquietante e ainda na dúvida se alguma banda ia abrir o show, ou se ia começar as 20hs mesmo, desci um pouco antes do ponto e sai correndo na chuva. Foi o tempo de chegar e ouvir a gritaria da galera recebendo a banda que tocava os primeiros acordes de “Human” single do último álbum Day and Age. Decorado com várias palmeiras, plantas e flores que davam ares tropicais, o palco tinha um K torto e iluminado e luzes ora roxas, ora laranjas que junto com os amplificadores também cheios de luzes e um telão bem planejado finalizavam a aparência de um cassino/disco para o palco. Nada mais apropriado para uma banda de Las Vegas.

O vocalista Brandon Flowers arriscou várias frases em português e apresentou a banda dizendo que nessa noite, eles seriam do público. O hit “Somebody Told Me” acabou de receber o pessoal que ainda estava no trânsito e a pista premium fervia. Ainda veio “Bones” com clipe animado por Tim Burton ao fundo e a cover de Joy Division “Shadowplay” que fez com que o baixo de Mark Stoermer ecoasse forte e com muita pegada, ACHO que as imagens do fundo eram do filme-biografia do Ian Curtis “Control”.

Brandon é um Don Juan no palco, charmoso, seguro e conquistador arrancou gritos histéricos da mulherada como um bom frontman, mas a interação com a banda praticamente não rola. Então veio “Smile Like You Meaning It” que parecia que não ia engatar, mesmo com o violinista no palco quando o vocalista entrou com o órgão que acabou virando o ponto alto da música. Depois de “Bling (Confession of a King)” Brandon senta ao piano e toca um trecho de “Human” (sim, de novo) que termina com duas notinhas erradas.

Brandon anuncia “Are You Prepare?” e “Spaceman” é tocada com coro da galera. E uma palhinha de “Can´t help falling in love with you” do Elvis misturada com a garoa fina deu um clima romântico para os casais em meio as poças de lama. “These Things That I’ve Done” entra em seu ponto máximo com uma explosão de papéis picados no público e o show é “finalizado”. Já tinha gente indo embora quando a banda voltou para o bis de “Jenny Was A Friend Of Mine” e o show acaba em alta com “When You Were Young”.

Pedacinho de “Read my mind”

Todo mundo voltou molhado, com lama até nas canelas, mas o show no geral foi muito bom e o som estava perfeito. Se alguém quiser um tênis pra lavar, tô doando.

Como o show só teve fotógrafo oficial (as imagens aí em cima são de divulgação da banda), essa imagem da lama é do Gustavo Jreige.

Resenha para o MRC.