Da esquerda para a direita, o guitarrista Lincoln Parish, o baixista Daniel Tichenor, os irmãos Matt (vocalista) e Brad Shultz (guitarrista) e o baterista Jared Champion

Guitarrista do Cage The Elephant diz que reencontro com Grohl deve ser espontâneo

Quinteto de rock do Kentucky, nos Estados Unidos, o Cage The Elephant vem chamando a atenção desde a sua primeira apresentação no festival South By Sowthwest, em 2007. Fãs de Nirvana e Manchester Orquestra, os músicos têm no histórico comparações de seu vocalista Matthew Shultz a Kurt Cobain e recentemente andam felizes por ter um show com Dave Grohl tocando bateria.

O Cage vem pela primeira vez ao Brasil colher os frutos de seu segundo álbum, “Thank You, Happy Birthday”. Eles tocam no dia 7 de abril no Lollapalooza, em São Paulo. Mas antes disso, Brad Shultz – irmão de Matt e guitarrista da banda – disse em entrevista por telefone ao UOL que o reencontro com Grohl deve ser espontâneo e que eles desejam nada menos que “dominar o mundo”.
UOL Música: Como foi tocar com o Dave Grohl?
Brad Shultz: Foi incrível. Acho que foi a coisa mais legal que já fizemos. Nessa mesma época, nosso baterista Jared estava no hospital. Ele foi muito gentil ao fazer isso. Fizemos a passagem de som com o Dave, parecíamos crianças. Ele é um cara super legal. A turnê inteira foi muito boa.

UOL Música: E no Brasil? Podemos esperar um novo encontro?
Brad Shultz:
Realmente não sei. Dave estará aí, mas esperamos que Jared não passe mal novamente (risos). Acho que tem que acontecer de forma espontânea.

UOL Música: “Thank You, Happy Birthday” comemorou um ano em janeiro, como foi esse ano pra vocês?
Brad Shultz:
Foi um ano realmente bom, estivemos em muitos lugares e acho que não tivemos muito tempo para refletir sobre isso, foi louco. Mas tem sido ótimo, o Lolla em Chicago foi incrível, um dos meus shows favoritos, o DVD ao vivo também. A turnê desse álbum acaba na América do Sul e honestamente estamos pensando em entrar no estúdio em julho para gravar um novo álbum. Estamos prontos para começar tudo de novo (risos).

Dave Grohl toca com Cage The Elephant durante show

UOL Música: E da onde vem tanta energia?
Brad Shultz:
Quem sabe? (risos). Sempre nos inspiramos em muitas bandas como Iggy Pop & The Stooges, Ramones… Acho que bebemos um pouco de toda essa energia das bandas punks. Nós tocávamos em festas e bares sujos, acho que não acordamos ainda.

UOL Musica: O que vocês ouvem?
Brad Shultz:
Somos muito fãs de Morning Teleportation e Manchester Orquestra. Também adoramos redescobrir e descobrir coisas que nunca ouvimos dos anos 90 como Pavement e Mudhoney. Éramos muito novos quando fomos expostos a essas músicas. Quando era criança ouvia muita música cristã, aprendi a ouvir Nirvana com meu pai.

UOL Música: Qual seria o futuro ideal para o Cage The Elephant?
Brad Shultz:
Dominação do mundo (risos). Queremos ser melhores compositores, fazer mais turnês, viver a música de melhor forma e não precisar trabalhar de verdade.

UOL Música: O que vocês esperam dos shows no Brasil?
Brad Shultz: Nós sempre ouvimos de amigos que o público brasileiro é fantástico. Nunca estivemos na América do Sul antes e estamos realmente empolgados para chegar e passar um tempo aí nos divertindo. O Lollapalooza é um dos nossos festivais favoritos, será uma grande experiência.

Matéria publicada em UOL Música.