Estava pensando em como começar este texto sem ser longo ou exagerado demais com uma pergunta feita pelos seguranças e pela tiazinha super simpática que me ajudou quando fiquei presa no banheiro antes que eu entrasse em pânico na hora que o trinco da porta travou. “Quem vai tocar hoje?”, perguntavam. “Azealia Banks!”, eu respondia. E eles, “Quem é Azealia Banks?”. As expressões eram de extrema interrogação. Me identifiquei. Essa foi uma pergunta que havia me feito quando ouvi o nome dela pela primeira vez em 2013. 

Misturando rap e música eletrônica com batidas pesadas, um vocal atrevido, baixaria, vibe diva, frases polêmicas e muitos processos e brigas na indústria do pop, Azealia Banks já disse que não nasceu para atender expectativas masculinas. Com fama de causona no Twitter, a rapper é fiel a sua ancestralidade e famosa por não ter papas na língua.

A nova-iorquina de apenas 24 anos estourou com o single “212” e deu as caras por aqui pela primeira em 2012, no extinto festival Planeta Terra, em São Paulo (o coração até chora de tantas saudades deste festival). Depois de quatro anos, ela retorna ao país com a mixtape Slay-Z e o álbum Broke With Expensive Taste, que foi considerado um dos melhores discos de 2014. Na apresentação única no Audio Club, no dia 12 de junho, organizado pela W+ Entertainment, ela transbordou alegria, energia, com um olhar perdido e brilhante. Encontrei ela no camarim, e ela estava encantada com a caipirinha e a farofa, os nossos tesouros nacionais.

E o que eu posso dizer sobre o show? Olha, foi do caralho. Ela ficou descalça, pegou um megafone e saiu cantando. E o público? Bem, não existe uma explicação, mas é uma galera no geral do rap e do hip-hop. Todo mundo completamente eufórico. Quando Azealia entrou, os fãs retribuíram com aplausos, gritos que surpreenderam a artista em um clima extremamente orgânico e contagiante. No fundo, todo mundo só queria começar a dançar logo ao som do seu novo seu single “The Big Big Beat”. E ainda teve surpresa, com uma capela de “Chega de Saudades” do aclamado compositor Tom Jobim. Conveniente.

Outra vez eu pergunto a vocês: “Quem é Azealia Banks? “. É a garota nascida no Harlem, de temperamento forte, de inúmeros episódios de agressões físicas e verbais. É dessas que você ama ou odeia. Mas a garota é foda e não dá para segurar este furacão que está em pleno início de carreira. Se você ficou em casa no dia dos namorados chorando porque terminou o namoro, levou um fora do boy ou não teve com quem ir, o que tenho a dizer é: PERDEU!

AzealiaBanks_12_06_2016_Roseli  Vaz31

3_embaixa

30_embaixa

29embaixa

24embaixa

23_embaixa

AzealiaBanks_12_06_2016_Roseli  Vaz1embaixa

AzealiaBanks_12_06_2016_Roseli  Vaz27embaixa

36embaixa

34embaixa

32embaixa

35embaixa

26embaixa

16embaixa

AzealiaBanks_12_06_2016_Roseli  Vaz STIILFRAME2

AzealiaBanks_12_06_2016_Roseli  Vaz STIILFRAME3

2embaixa

33embaixa

AzealiaBanks_12_06_2016_Roseli  Vaz STIILFRAME4
Tem mais Roseli Vaz aqui e no Behance.