Paixão por toca-discos, hip hop e funk latino são três características que podem ajudar a se aprofundar no trabalho do norte-americano Lucas Macfadden. Sob o codinome de Cut Chemist, o produtor se apresenta no festival Sónar, que ocorre nos dias 11 e 12 de maio, no Anhembi, em São Paulo. A última vez que Chemist esteve no Brasil foi no Tim Festival, em 2004.

Chemist é conhecido por sua pluralidade de estilos e pela forma como se especializou em tocar discos. Começou como DJ do grupo de hip-hop Jurassic 5 no início da década de 1990, foi líder do projeto de funk latino Ozomatli e bebeu da bossa-nova em trabalho com a brasileira Astrud Gilberto. Atualmente, o produtor investe na música eletrônica e no rock para seu novo álbum, que deve ser lançado no segundo semestre.
Para a apresentação no Brasil, Chemist promete uma mistura de todos estes estilos que já tocou, e também músicas brasileiras antigas. “Será bem divertido. Teremos muitos efeitos visuais, um toca-discos especial para a performance e bastante foco em música brasileira e africana”, disse em entrevista por telefone ao UOL.

LEIA MAIS

QUANDO TOCA:
1º dia, sexta-feira (11), às 22h30
PORQUE ASSISTIR:
“Os brasileiros podem esperar um som agressivo, emocional, passional, às vezes romântico e às vezes violento (risos). Tocarei músicas de meus vários projetos, e também do álbum novo. Meu último single é uma mistura de industrial e punk rock”

Leia a entrevista na íntegra abaixo:

UOL Música: Como você define seu trabalho para os novos fãs que vai conhecer no Brasil, e o que vai tocar para quem é seu fã antigo?
Cut Chemist:
Acho que os brasileiros podem esperar um som agressivo, emocional, passional, às vezes romântico e às vezes violento (risos). Tocarei músicas de meus vários projetos, e também do álbum novo. Meu último single é uma mistura de industrial e punk rock.

UOL Música: Como está o processo de gravação desse álbum?
Cut Chemist:
O último álbum que fiz solo foi “The Hard Sell”, em 2006. Já estava em tempo de trabalhar em algo diferente. Neste tenho a participação de guitarristas, bateristas e outros músicos, que proporcionam diferentes tipos de sonoridades. Estou tomando vários tipos de direções, mas o que posso dizer é que ele está mais eletrônico e também mais rock.

UOL Música: Quem são os convidados especiais?
Cut Chemist:
Tenho alguns MC’s, um do Jurassic 5, Chali 2na, é muito bom poder fazer música com ele novamente. Também tem um rapper nova-iorquino oldschool chamado Marky, a vocalista do Tune-Yards, Merrill Garbus, ela canta uma música. E também tenho o melhor baterista do mundo, Deantoni Parks, que toca em várias faixas. Ainda não sei quando consigo lança-lo, estou terminando algumas músicas, a previsão é outubro. Mas já tenho um single lançado recentemente, “Outro (Revisited)”, com participação do rapper Blackbird.

UOL Música: Você já fez uma participação especial como um professor em “Juno”, tem algo relacionado a cinema recentemente?
Cut Chemist: Eu realmente adoro filmes, moro em Hollywood, é minha natureza. Adoro assistir, mas também fiquei amigo de diretores, por isso as participações. E também participei recentemente da trilha sonora do documentário “One Day On Earth”. Eu sou o primeiro DJ a tocar nas Nações Unidas, então é bem empolgante.

UOL Música: O que significa ser o primeiro DJ a tocar nas Nações Unidas?
Cut Chemist: Acho que o trabalho do DJ é uma coisa que as pessoas podem gostar não importa qual o tipo de música ouçam. Esse tipo de performance é bacana por causa do tipo de música que tocamos, africana, colombiana. É muito rico.

UOL Música: Você é um grande fã de vinis, pode nos listar alguns dos seus favoritos?
Cut Chemist:
Adoro vinis brasileiros, adoro os africanos e de música americana, ouço bastante soul dos anos 70, rock psicodélico e new wave.

UOL Música: Tem algo que queira fazer musicalmente que ainda não fez?
Cut Chemist:
Neste álbum estou trabalhando em algo que nunca fiz antes, tem muitas bases de sample e instrumentos ao vivo, é realmente algo que gostaria de fazer há algum tempo.

UOL Música: E quanto a parte visual, tem algo para o show?
Cut Chemist:
Teremos muitos efeitos visuais, teremos um VJ fazendo projeções em tempo real, e também usarei um toca-discos especial para a performance.

UOL Música: Falando em efeitos visuais, você viu o holograma do 2Pac no Coachella?
Cut Chemist:
Eu vi isso, mas infelizmente não teremos hologramas no show, me desculpe (risos).


SÓNAR SÃO PAULO
Quando:
11/5 (sexta, das 19h às 5h) e 12/5 (sábado, das 15h às 5h)
Onde: Parque Anhembi (Rua Olavo Fontoura, 1209 – Santana/SP)

Ingressos:

2º Lote (até 10/5/2012)
Inteira (para um dia):
R$230
Meia (para um dia): R$115
Passaporte Inteira (os dois dias): R$400
Passaporte Meia (os dois dias): R$200

3º Lote (nos dois dias do festival: 11 e 12/5)
Inteira (para um dia):
R$250
Meia (para um dia): R$125
Passaporte Inteira (os dois dias): R$450
Passaporte Meia (os dois dias): R$225

Matéria publicada em UOL Música.