Fã de jogos de tiro e de clássicos como “Pac-Man”, o produtor Clark Spencer conversou com sobre o lançamento do DVD e Blu-Ray de “Detona Ralph”. Para Spencer, que atribui seu título de “gamer” às tardes que passou jogando “Pong” na infância, foi um desafio criar algo para os fãs de jogos, famosos por serem difíceis de agradar.

“Desde o início da criação desse filme sabíamos que a parte mais difícil seriam os jogadores. Gamers conhecem seu universo mais do que qualquer um. Por isso nos prendemos a ser tão fiéis aos personagens e mostrar o que é tendência agora, que são os jogos de tiro modernos. Foram tantas pesquisas para fazer isso da forma mais certa que ficamos orgulhosos em saber que boa parte dos gamers se apaixonou pelo filme”, comentou o produtor. “Mas ao mesmo tempo, você não tem que amar games para amar o filme, você pode simplesmente gostar de boas histórias.”

O produtor acredita que o que mais atraiu o público, além dos personagens fielmente reproduzidos, foi a mistura de ação e emoção. “Pensei que seria uma experiência incrível para a audiência. Também gosto da ideia de ter explorado um universo de filmes de ação, mas levando em consideração o lado emocional da história usando o grande coração mole de Ralph. Acho que a lição de deixar de lado o egoísmo, como quando Ralph deixa de correr atrás da medalha para ajudar Vanelope a ganhar a corrida, é um dos grandes momentos do filme. Você entra na história pensando nos videogames e sai de uma jornada emocional e profunda envolvendo os personagens.”

Spencer ainda conta ainda que o DVD terá material exclusivo sobre o longa, como entrevistas com os dubladores, bastidores de criação das cenas e diversos joguinhos escondidos envolvendo o universo de Ralph. Além desse material, o curta “Paperman”, que venceu o Oscar de melhor curta-metragem de animação em 2013, também estará presente em boa resolução para os fãs de animação.

  • Divulgação/DisneyClark Spencer, produtor de “Detona Ralph”

“Paperman” é um curta incrível. Ele usa uma combinação de tecnologia 3D, desenhos à mão, um cenário bonito e a história de um garoto que se apaixona por uma garota que ele não conhece. E isso é tão delicado e bonito que você acaba se apaixonando pela história”, define Spencer. “Foi muito emocionante receber o Oscar porque foi o primeiro de curta de animação da Disney em 44 anos. Foi um grande momento para o estúdio, ficamos muito orgulhosos.”

Apesar de agora ser um curta premiado, “Paperman” quase não saiu do papel. “John Kahrs, o diretor, tinha recebido o briefing de fazer um curta de comédia e menos emocional. E no fim recebemos esse filme e ele não é nada engraçado, ele é verdadeiramente romântico. Então ficamos seriamente preocupados sobre ele não funcionar. Mas depois, com o sucesso do curta, pensamos que essa foi a coisa certa a fazer. As pessoas podem ter duas experiências no cinema, mesmo que uma em desenho à mão e outra em 3D”.

Publicado em UOL Cinema.